Sábado, 23 de Outubro de 2021

PMA caça traficantes de aves após quase 200 papagaios apreendidos em 2 anos


Entre 2019 e 2020 redução de apreensões foi de 94% por isso PMA decidiu manter operação este ano.
Filhotes de papagaios apreendidos em anos anteriores da operação (Foto: Divulgação | PMA)

 

A PMA (Polícia Militar Ambiental) deflagra pelo terceiro ano consecutivo a Operação Bocaiúva para coibir o tráfico de animais silvestres nas estadas do estrada, principalmente as aves que estão no período reprodutivo, entre agosto e dezembro, como papagaios, araras, periquitos e maritacas. As ações deste ano começam nesta sexta-feira (13) às 8h.

Nos dois primeiros anos da operação foram apreendidos nas estradas estaduais cerca de 187 papagaios, o principal objetivo da PMA. A decisão de continuar com as ações foi por conta da redução registrada entre os anos de 2019 e 2020 quando as apreensões caíram em 94%.

Na operação serão envolvidos policiais das subunidades das regiões mais afetadas pelo tráfico de animais que ficam próximas às divisas com São Paulo e Paraná nas cidades de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa rita do Pardo, Nova Andradina, Três Lagoas e Brasilândia.

Além dos municípios de Naviraí, Itaquiraí, Eldorado e Mundo Novo, mas haverão equipes espalhadas por todo o Estado. Serão enviados reforços de outras cidades para evitar que os filhotes das aves sejam capturados ainda no ninho pelos traficantes.

As equipes serão distribuídas em propriedades rurais, assentamentos. OS policiais farão a fiscalização com bloqueios em rodovias e estradas vicinais, além de dar orientações sobre o crime. Outros órgãos de segurança, como, outras Unidades da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, serão alertados para apoio no período.

Para a PMA, a redução entre significativa entre o 1º e o 2º ano da operação mostra que os infratores estão sendo presos sem conseguir retirar grandes quantidades de aves dos habitats para serem vendidos em outros estados. 

 


Fonte: Campo Grande News