Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Quarta-feira, 10 de Agosto de 2022

Notícias/Agro

Acsurs pede isenção de ICMS nas vendas interestaduais do animal vivo

O pedido dos suinocultores gaúchos vem em função do atual cenário de crise que os produtores enfrentam nos últimos meses, diz entidade

Acsurs pede isenção de ICMS nas vendas interestaduais do animal vivo
Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), esteve reunida com a Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul (Sefaz) para tratar sobre a isenção da alíquota sobre o ICMS cobrado na Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação nas saídas interestaduais de suínos vivos.

Segundo a Acsurs, o pedido dos suinocultores gaúchos vem em função do atual cenário de crise que os produtores enfrentam nos últimos meses. Atualmente, o percentual praticado na alíquota do ICMS é de 6%, porém, a entidade busca a isenção para que os produtores consigam escoar sua produção para outros estados, já que os frigoríficos instalados no Rio Grande do Sul não têm capacidade de absorver toda a produção de suínos.

“A isenção da alíquota auxiliará muito os criadores de suínos que hoje enfrentam toda esses percalços que cercam a atividade a continuarem na suinocultura”, diz o presidente da Acsurs, Valdecir Folador.

Os altos custos de produção vêm na contramão dos baixos preços pagos pelo quilo do suíno vivo. Segundo a Central de Inteligência de Aves e Suínos (CIAS) da Embrapa, o custo para se produzir o quilo do suíno vivo é de R$ 7,72 (média para fevereiro), enquanto que o produtor recebe, em média, R$ 5,59 posto indústria segundo Pesquisa Semanal da Cotação do Suíno, milho e farelo de soja da Acsurs.

No posto granja, o produtor recebe, em média, R$ 5 pelo quilo do suíno. “Ou seja, para produzir cada quilo do suíno vivo ele gasta R$2,72. Num suíno de 120 quilos, o suinocultor perde R$ 326. O suinocultor gaúcho está pagando para trabalhar”, explica o vice-presidente da entidade Mauro Antônio Gobbi.

De acordo com Gobbi, não há como pagar ICMS em cima de prejuízo. “Relatamos as dificuldades da suinocultura e fomos firmes em nosso pedido para zerar a alíquota, ao menos por um período. O valor do ICMS representa um custo de R$ 35 por suíno; zerar a alíquota não vai resolver o problema que o produtor está vivendo, mas vai ajudar ele a passar por essa dificuldade”, disse.

Ao mesmo tempo, outra reunião era realizada no Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para renovar o então decreto que concede o percentual em vigor até o dia 31 de julho e, por esse motivo, a alíquota deve se manter em 6%. “Nos próximos dias teremos uma nova reunião para tentar baixar esse imposto”, conta Gobbi.

Outra pauta levantada foi o fato de o produtor rural não receber crédito do milho oriundo do Mato Grosso. “A Secretaria não tem ferramentas para creditar na Pessoa Física o milho que vem daquele estado, porém, se tivermos zerado o ICMS no suíno, não precisamos ter creditado o ICMS do milho, pois se a gente não credita a gente não debita. Se não ganhamos créditos, não pagamos também”, argumentou Gobbi.

FONTE/CRÉDITOS: Canal Rural
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!