Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Notícias/Policial

Agredida a pauladas, transexual recebe alta, mas espera cirurgia no maxilar

Flagrados por câmeras de segurança, dois homens foram presos e Justiça negou liberdade por habeas corpus

Agredida a pauladas, transexual recebe alta, mas espera cirurgia no maxilar
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Recebeu alta ontem (22), a transexual agredida a pauladas Cláudia Aparecida Linda, de 40 anos, em Mundo Novo. Sair do hospital, no entanto, foi o começo de uma nova etapa dolorosa para a paciente e desafiadora para a família que não conta com a rede pública para cobrir todos os exames e medicamentos necessários na recuperação. 

Depois de passar por uma cirurgia na cabeça e ficar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em hospital de Dourados, Cláudia foi transferida para Mundo Novo, onde ficou até receber alta. Ela está desorientada, sente muitas dores e espera por outra cirurgia, segundo a sobrinha, a autônoma Daiane Almeida, de 27 anos. Ela vende bolos, mas parou de trabalhar desde que houve a agressão.

Claudinha, como é conhecida pelos amigos, teve traumatismo craniano severo e a família alega que negligência no primeiro atendimento médico agravou a situação. Segundo Daiane, o médico disse que Cláudia "estava bêbada, passando mal por causa de briga de rua e iria para casa quando acordasse".

“Ficou das 5h da manhã às 22h sem atendimento. Se não fosse isso, não teria tido hemorragia na cabeça”, lamenta a sobrinha.

“Está sendo muito difícil, recebemos algumas doações, mas já foi tudo. Precisamos de fraldas, remédios, dinheiro para exames. Uma cartela de um remédio custa R$ 480,00 e uma tomografia que ainda vai ter que fazer vai custar em torno de R$ 600,00”, conta a sobrinha.

Cláudia está com o maxilar quebrado, mas tem que aguardar alguma recuperação antes de marcar cirurgia, conforme informaram os médicos à Daiane. “Não sei como vai ser essa cirurgia, se vai conseguir pela saúde pública, mas nós não temos condições de pagar. Está sendo muito complicado. Além dos remédios, tem a alimentação”, conta a sobrinha.

Ajuda - Quem quiser fazer doações de qualquer valor, pode enviar via Pix para o CPF 102.255.069-12, conta de Daiane Almeida. Os valores serão usados para pagar exames e medicamentos.

Caso - Espancada a pauladas no dia 14 deste mês, Cláudia foi vítima de tentativa de homicídio motivada por transfobia, segundo a polícia. Suspeitos da agressão, dois homens, pai e filho, foram presos. 

FONTE/CRÉDITOS: Campo Grande News
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!