Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Notícias/Política

Bolsonaro vem a MS para acabar com racha na direita conservadora

Presidente esteve com o deputado federal Loester Trutis e confirmou visita a partir do dia 20, quando deverá formalizar apoio à pré-candidatura de Riedel

Bolsonaro vem a MS para acabar com racha na direita conservadora
Tereza Cristina junto a Eduardo Riedel e presidente Bolsonaro em evento em Ponta Porã - Crédito: Ministério das Comunicações
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deve vir a Campo Grande entre os dias 20 e 21 deste mês para pôr fim ao racha no campo da direita de Mato Grosso do Sul e oficializar a aliança de seu partido, o PL, e do PP, da ex-ministra, deputada federal e pré-candidata a senadora Tereza Cristina, com o PSDB, de Eduardo Riedel, que é pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul.

A confirmação de que o presidente virá a Mato Grosso do Sul foi revelada ao Correio do Estado no início da tarde de ontem, pelo deputado federal Loester Trutis (PL). 

“O Bolsonaro foi bem claro. Disse que no Estado está com a Tereza, e que o candidato a governador é Eduardo [Riedel]”, afirmou o deputado federal minutos depois de ter se encontrado com o presidente da República em Brasília (DF).

Conforme Trutis, a intenção de Bolsonaro é pôr fim ao racha aberto em parte da direita de Mato Grosso do Sul depois que o deputado estadual Capitão Contar (PRTB) lançou sua candidatura ao governo de Mato Grosso do Sul. Embora Contar seja bolsonarista, a pré-candidatura dele não tem apoio oficial do presidente da República.  

Já Eduardo Riedel esteve com Jair Bolsonaro pelo menos três vezes neste ano: duas vezes em Brasília (o primeiro encontro foi em março, e o mais recente aconteceu no mês passado) e no fim de março em Ponta Porã, durante visita oficial ao Assentamento Itamaraty.  

Tereza Cristina, amiga de Eduardo Riedel há três décadas, é a principal intermediadora do apoio mútuo entre as pré-candidaturas dele e de Bolsonaro.  

Bolsonaro, por sua vez, delegou à sua ex-ministra da Agricultura a missão de organizar seu palanque da campanha presidencial em Mato Grosso do Sul neste ano. E neste palanque não houve espaço para uma pré-candidatura a governador de Capitão Contar.

No mês passado, o Correio do Estado adiantou, em primeira mão, que Bolsonaro viria a Mato Grosso do Sul para oficializar o apoio dele à candidatura de Eduardo Riedel, mas a visita ganhou ares de urgência depois de outras duas visitas: dos deputados federais Daniel Silveira (PTB-RJ) e Carla Zambelli (PL-SP).  

Apoiadores de Contar foram hostis a Zambelli, sobretudo quando ela defendeu a ministra Tereza Cristina, durante evento na Câmara Municipal de Campo Grande, na sexta-feira (3).  

Foi preciso que policiais militares interviessem para proteger Zambelli, enquanto os apoiadores da pré-candidatura de Contar atacavam Tereza Cristina com palavras de baixão calão.  

O incidente na Capital, organizado por Trutis, chegou a Bolsonaro não somente por ele, mas via Zambelli e outros interlocutores. Por isso, Bolsonaro, que esteve com Tereza Cristina na semana passada, decidiu antecipar o apoio ao tucano de Mato Grosso do Sul, que ele chamou apenas de “Eduardo”.  

PAUTAS

O deputado federal Loester Trutis, após conversar com Jair Bolsonaro, disse ao Correio do Estado que se colocou à disposição para intermediar o diálogo entre os setores da direita que ainda resistem a apoiar Eduardo Riedel em Mato Grosso do Sul.  

“Vou procurar o Riedel para sugerir que ele coloque no plano de governo pautas conservadoras e que integram os anseios de setores como o da Segurança Pública e dos clubes de tiro e dos CACs [Colecionador, Atirador Esportivo e Caçador]”, afirmou Trutis.

FONTE/CRÉDITOS: EDUARDO MIRANDA (Correio do Estado)
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!