Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Quarta-feira, 10 de Agosto de 2022

Notícias/Mato Grosso do Sul

Fábrida de celulose construída em MS deve empregar 10 mil trabalhadores em abril

Obra segue ritmo do cronograma; investimentos foram discutidos pelo governador Reinaldo Azambuja

Fábrida de celulose construída em MS deve empregar 10 mil trabalhadores em abril
Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Maior investimento privado em Mato Grosso do Sul, a construção da fábrica de celulose em Ribas do Rio Pardo segue o ritmo de investimentos previsto no cronograma e deverá empregar 10 mil funcionários em abril de 2023. A informação foi repassada ao governador Reinaldo Azambuja nesta quinta-feira (17) pelo presidente da Suzano, o CEO Walter Schalka, e pelo diretor Luis Bueno.

Além da geração de empregos, Governo do Estado e Suzano têm um compromisso de investimentos em diversas áreas em Ribas do Rio Pardo, como saúde, educação, infraestrutura logística e segurança pública. 

Reinaldo Azambuja também apresentou à Presidência da empresa o projeto de revitalização da Malha Oeste, que poderá ser importante para o escoamento da celulose. A construção da nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo representa um investimento de R$ 19,3 bilhões, sendo R$ 14,7 bilhões na parte industrial e R$ 4,6 bilhões nas atividades florestais, na estrutura logística e em outras iniciativas previstas em projetos dessa natureza. 

O complexo entrará em operação no segundo semestre de 2024. Durante o pico de construção da unidade, devem ser gerados aproximadamente 10 mil empregos diretos, além de milhares de empregos indiretos. Depois de concluída a obra, a nova fábrica empregará cerca de 3 mil pessoas entre colaboradores próprios e terceiros. 

Referência mundial na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do eucalipto, a Suzano afirma que o projeto Cerrado é o mais eficiente da companhia em função do baixo nível de emissão de carbono previsto após o início de operação. A capacidade de produção após o início das operações será de 13,45 milhões de toneladas de celulose e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano.

Também participou da reunião com a Suzano o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Rocha.

FONTE/CRÉDITOS: Redação Portal do MS
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!