Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Domingo, 14 de Agosto de 2022

Notícias/Mato Grosso do Sul

Furtos de gado tem redução de 10% em Mato Grosso do Sul

Desde a sua criação, a Delegacia Especializada de Combate a Crimes Rurais e Abigeato realizou quinze operações especiais contra delitos agrários em mato Grosso do Sul.

Furtos de gado tem redução de 10% em Mato Grosso do Sul
Foto: Edemir Rodrigues
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O registro de furto de gado em Mato Grosso do Sul reduziu em 10% no primeiro trimestre desse ano em comparação ao mesmo período de 2021. A diminuição é reflexo das ações do Governo do Estado para segurança na zona rural, com a criação da Delegacia Especializada de Combate a Crimes Rurais e Abigeato (Deleagro) e do programa “Campo Mais Seguro- Policiamento Rural”.

Criada em abril do ano passado, a Deleagro atua na repressão e investigação de crimes como o abigeato, que se trata de furtos de animais domésticos no campo e nas fazendas, principalmente de gado, assim como, crimes como subtrações de insumos, defensivos e maquinários agrícolas.

O titular da Deleagro, delegado Mateus Zampieri, explica que nesse período a delegacia tem atuado intensamente com a realização de operações, desarticulando quadrilhas, mapeando as ocorrências e intensificando serviços de inteligência. “Por ser uma delegacia especializada conseguimos focar na resolução desses crimes, refletindo na redução das ocorrências”, disse.

No ano passado, a Deleagro realizou duas grandes operações contra abigeato desarticulando as maiores quadrilhas especializadas em furto de gado em Mato Grosso do Sul. “Isso impactou na redução direta no furto de animais no Estado. Atrelado ao mapeamento das atividades e monitoramento constante conseguimos inibir esse crime”, disse. No primeiro trimestre de 2022, o número de registro de boletins de ocorrência de crimes de abigeato apresentou redução de 10% ao mesmo período de 2021.

Desde a sua criação, a Delegacia Especializada de Combate a Crimes Rurais e Abigeato realizou quinze operações especiais contra delitos agrários em mato Grosso do Sul. O adjunto da Deleagro, delegado Pablo Gabriel Farias da Silva, destacou que além de levar da prisão dos envolvidos, também serve para identificar os criminosos e quais áreas especificas atuam. “O serviço de inteligência e mapeamento é essencial para entendermos o funcionamento desses crimes no Estado”, pontuou.

Na última quinta-feira (2.6), a Deleagro, em parceria com a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira (Defron) desencadearam a segunda fase da Operação Geoagro, contra quadrilha especializada no furto e receptação de equipamentos de alta tecnologia utilizados na agricultura. “Observamos a criação de um mercado clandestino desses equipamentos na agricultura de alta precisão. Agimos rapidamente para desarticular esse crime”, explicou Zampieri.

O Governo do Estado também organizou o "Programa Campo Mais Seguro - Policiamento Rural" da Polícia Militar, com objetivo de monitorar as propriedades rurais, com auxilio de tecnologia de georreferenciamento. Policiais militares foram treinados e capacitados para atuar no patrulhamento rural em todos os biomas de Mato Grosso do Sul, do Pantanal ao Cerrado.

O presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni, enfatizou que as ações na segurança pública realizadas pelo Governo do Estado tem sido benéficas  para a sociedade. “São muitas as ações do Governo de MS voltadas à segurança nas áreas rurais. Com a criação da Deleagro e com a intensificação do patrulhamento rural, temos um reforço das medidas de segurança em Mato Grosso do Sul, que já são realizadas com bastante eficácia, sendo essenciais para o avanço da agropecuária de nosso estado. Enquanto os produtores rurais estão fazendo seu trabalho no campo, as forças de segurança estão atuando por meio de um sistema especializado, com monitoramento ostensivo e inteligência operacional, defendendo os produtores com iniciativas de prevenção e combate à criminalidade”, afirmou.

FONTE/CRÉDITOS: Airton Raes, Subcom
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!