Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Sexta-feira, 01 de Julho de 2022

Notícias/Policial

Namorada de policial convidou jovem em bar para motel e depoimentos confirmam tiro acidental

Todos os envolvidos até o momento confirmaram a versão dada pelo policial em Campo Grande

Namorada de policial convidou jovem em bar para motel e depoimentos confirmam tiro acidental
Ilustrativa
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O escrivão da Polícia Civil Robson Correa do Canto que disparou contra a namorada, de 39 anos, durante uma discussão em motel na última segunda-feira (28), prestou depoimento e confirmou, junto a outras testemunhas, a versão de que o disparo que atingiu a namorada foi acidental. Também já foram ouvidos a jovem que estava com o casal, e fugiu do motel em seguida, além de funcionários e uma testemunha que estava na Santa Casa.

O casal teria conhecido a jovem em um bar próximo à UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), na noite do disparo. A namorada do policial civil é agente penitenciária federal e teria proposto para convidar a jovem para os três irem até o motel, localizado próximo do bar, no Jardim Paulista.

A vítima ainda não prestou depoimento, por estar internada na Santa Casa, aguardando melhora no quadro clínico. Ao chegar no motel, ela teria ficado com ciúmes do policial e dito que “não aguentaria ver aquela situação”. Então, decidiu ir embora, junto à convidada.

Entretanto, a agente penitenciária não conseguiu abrir o portão de elevação, voltando para o quarto na tentativa de pedir ajuda de Robson ou pegar a chave. Ele, por sua vez, teria dito para que ela esperasse ele arrumar suas coisas.

Segundo relatado pelo policial em depoimento, nesse instante teria começado uma discussão entre os dois, e ele colocou a vítima para fora do quarto. Ela, então, teria arrombado a porta e pego a arma de fogo dele que estava em cima de uma mesa de vidro no quarto. Ele afirmou não se lembrar de como se deu o disparo, mas disse ter tentado tirar a arma dela, e que “foi tudo muito rápido”. Em seguida já teria escutado o disparo.

Enquanto isso, ainda dentro do carro e do lado de fora do quarto, a jovem convidada enviava mensagens em um grupo de amigos no WhatsApp dizendo que o casal estava discutindo e que a vítima teria arrombado a porta.

Ao chegarem na Santa Casa, um policial que escoltava um preso e presenciou a entrada, teria ido ajudar o casal. Nesse momento, a vítima teria dito para ele “foi acidental, não me deixa morrer”. Em depoimento, a jovem teria relatado que ficou nítido que a vontade do convite partiu da vítima.

FONTE/CRÉDITOS: MídiaMaxNews
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!