Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Domingo, 14 de Agosto de 2022

Notícias/Policial

Polícia Militar de Naviraí evita ocupação de fazenda por indígenas (Vídeo)

A Fazenda Tejuí faz limite com uma outra área já ocupada anteriormente por indígenas e a Polícia Militar está atenta a possíveis tentativas de invasão em terras da região.

Polícia Militar de Naviraí evita ocupação de fazenda por indígenas (Vídeo)
Assessoria de Comunicação Social CPA-1/12º BPM.
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

No início da da noite desta quinta-feira (23), um grupo de cerca de 20 a 30 indígenas iniciaram uma invasão na Fazenda Tejui, distante  cerca de 14 km de Naviraí-MS. Os invasores fizeram os moradores reféns e os expulsaram momentaneamete da área da casa da fazenda, iniciando a ocupação ilegal da sede da Fazenda e das estradas de acesso. 

Para bloquear os acessos, os indígenas fizeram uma fogueira e colocaram um trator e uma camionete da própria fazenda na estrada. Com o rápido acionamento e intervenção da Polícia Militar no local, os indígenas ameacaram tacar fogo também nos maquinários para impedir o avanço da PM até a sede da Fazenda. 

Com a forte presença policial, os indígenas recuaram, lançando flechas contra as equipes policiais, as quais foram apreendidas e posteriormente serão encaminhados à Delegacia de Polícia. A Polícia Militar avançou até a sede da Fazenda, já em posse  do trator e a camionete que haviam sido deixados na estrada. 
Na sede, a Polícia Militar já não encontrou nenhum invasor, garantindo  imediatamente a posse da fazenda a seus legítimos possuidores. Com o amanhecer do dia, mochilas e flechas dos invasores foram encontradas em meio ao milharal. Todo material está sendo recolhido e será encaminhado à Delegacia.

A Fazenda Tejuí faz limite com uma outra área já ocupada anteriormente por indígenas e a Polícia Militar está atenta a possíveis tentativas de invasão em terras da região. As vítimas foram encaminhadas até a Delegacia de Polícia para registrar a ação dos indígenas.

FONTE/CRÉDITOS: Assessoria de Comunicação Social CPA-1/12º BPM.
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!