Portal do MS - Sua fonte de notícias de Mato Grosso do Sul

Quinta-feira, 11 de Agosto de 2022

Notícias/Agro

Preço da saca de milho recua 17,7% no Estado em um mês

Maior queda foi registrada em Ponta Porã, onde o cereal era comercializado a R$ 90 e passou a R$ 74 na quinta-feira.

Preço da saca de milho recua 17,7% no Estado em um mês
Divulgação
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O preço do milho apresentou queda nos últimos dias. No comparativo mensal, entre março e abril, o preço da saca com 60 quilos recuou até 17,7% em Mato Grosso do Sul.

Apesar de receber menos pela saca atualmente, produtores tiveram um alívio com as chuvas registradas em março, trazendo uma boa perspectiva para a safrinha deste ano.

Conforme os dados da Granos Corretora, no mercado físico de Mato Grosso do Sul, o maior recuo foi registrado em Ponta Porã. A queda foi de 17,7% no comparativo entre 14 de março e 14 de abril. A saca com 60 kg saiu de R$ 90 no mês passado para R$ 74 na quinta-feira (14).

Em comparação com o início da invasão russa à Ucrânia, essa queda é de 16,9%, quando a cotação apontava para R$ 85,50 por saca em 24 de fevereiro.

Em Campo Grande, o recuo foi de 14,4% no intervalo de 30 dias, saindo de R$ 90 para R$ 77. Já na comparação com o dia 24 de fevereiro, a queda é de 9,4%, quando a saca era cotada a R$ 85.

Outra commodity que apresentou quedas no período é a soja. A saca comercializada a R$ 192 no Estado, há um mês, apresentou queda de 11,9%.

No comparativo com o início do conflito entre as nações europeias, a queda é de 9,6%. No fechamento de quinta-feira (14), a saca da oleaginosa era comercializada a R$ 169 em MS.

De acordo com o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso do Sul (Aprosoja-MS), André Dobashi, a perspectiva é positiva quanto ao desenvolvimento do milho que se vê nas lavouras do Estado.

As plantas da região sul que foram semeadas na última quinzena de janeiro conseguiram pegar uma quantidade boa de chuvas para criar as raízes e depois, por conta do estresse hídrico de fevereiro, elas puderam aprofundar as raízes em busca da água no solo.

“Esse milho foi bem plantado e nasceu em uma situação privilegiada, conseguiu aprofundar as raízes em fevereiro, e a situação é muito boa. Temos milho de qualidade muito boa nas lavouras de MS”, comemora.

Segundo o Centro de Especialidade Econômicas da Universidade de São Paulo (Cepea/USP), no panorama nacional, a saca foi comercializada a R$ 87,30 na quinta-feira (14), esse valor é 16% menor que de um mês atrás, quando a saca era comercializada a R$ 103,87.

No comparativo com o início da invasão russa à Ucrânia, essa queda é de 10%, comercializada a R$ 96,89 a saca em 24 de fevereiro.

A saca de soja era comercializada a R$ 200,43, há um mês, e apresentou queda de 7,4%. No comparativo com o início do conflito entre as nações europeias, a queda é de 3,5%. No fechamento do dia 14, a saca da oleaginosa era comercializada a R$ 185,63.

FONTE/CRÉDITOS: Correio do Estado
Comentários:

Veja também

Seja bem vindo!